Georges Auric nasceu em Lodève, Hènault, em 15 de fevereiro de 1899. Foi aluno de Caussade e de Indy. No tempo do Grupo dos Seis, sofreu a influência de Chabrier, Satie e Stravinsky e procurou a simplicidade da escrita - por vezes recorrendo ao folclore - os fundamentos de um estilo original. Esta tendência muitas vezes matizada de ironia, foi pouco a pouco combatida por uma preocupação de grandeza e seriedade - mesmo a partir de 1932: Sonata para piano em fá maior.

As suas principais coroas de glória são ter escrito bailados para Diaghilev, música de filmes para René Clair e Cocteau e ter sabido obter a mais vasta audiência popular devido à sua valsa do filme Moulin Rouge. Foi a partir de 1961, administrador de teatros líricos franceses. Auric morreu em Paris, em 23 de julho de 1983.

Óperas: Sous la masque; bailados: Les fâcheux, Les matelots, Pastoral (balés russos, 1924, 1926, 1927), Le peintre et son modèle, Phèdre; música de filmes: a nous la liberté, Líéternel retour, Líaigle à deux têtes, Orfeu, Moulin Rouge, Passeport to Pimlico; Quatro canções francesas para coro à capela, sobre poemas do século XV, música instrumental, muitas melodias.